quinta-feira, dezembro 15, 2005

PGR ARQUIVA QUEIXA DA CNE CONTRA CAVACO


As queixas entregues na Procuradoria geral da República (PGR) deveria esconder o nome do visado. Apenas para impedir que os procuradores se sentissem pressionados a adoptar uma atitude mais cautelosa. Assim ficariam à vontade... Não era culpa deles...

Em 1993, o advogado Teixeira da Mota apresentou uma queixa à Comissão Nacional de Eleições (CNE) contra o então primeiro-ministro Cavaco Silva. Por declarações feitas num comício a 7 de Novembro de 1993, em vésperas de eleições. O Livro da própria CNE "10 anos de decisões da CNE" reza assim:






O que tinha ele feito?




E como tal...







E por isso mesmo,



Ora, o que fez o Ministério Público?
Que chatice esta coisa de ter de decidir, de ter melindrar, de criar um facto político, precisamente quando o primeiro-ministro andava a ser mais que picado pela comunicação social. De tal forma que o homem já nem sorria, nem comia bolo-rei. Andava mesmo agastado. E nessa situação, nesse ambiente, ia o Ministério Público estragar-lhe mais as coisas? Não... Claro que não...




que... aceitam-se apostas... Vá lá...
DE ARQUIVAMENTO! Pois claro...

E porquê?

---> "No que respeita ao dever de neutralidade e imparcialidade, porque a sua aplicação se restringe ao período de campanha eleitoral"... Pois, a pré-campanha é coisa que não existe...

---> "e no que se refere ao abuso de funções públicas, porque o meio utilizado não se afigurou idóneo a preencher os padrões de tipicidade que a lei eleitoral consagra neste domínio". Meios, que meios?

Diz o livro da CNE:

Que os actos de CAVACO SILVA não eram "susceptiveis de influenciar o comportamento dos eleitores". E porquê?

---> "tratou-se de um comício em recinto fechado, destinado, em princípio, a militantes do PSD e realizado num período vulgarmente designado de pré-campanha". Ou seja, aquela coisa das televisões andarem sempre atrás do PM, filmarem o que faz, gravarem o que diz e emitirem para o espaço não se aplicava porque decorreu num recinto fechado... Ah!! E era só para militantes do PSD...

---> "a intervenção produzida desenvolveu-se segundo a retórica própria do discurso político". Isto é, não era para acreditar. Não era para levar a sério... Quem lá estava no comício era para agitar as bandeiras e o povo em casa até nem liga a quem promete, promete, promete... mesmo que seja o PM. Em vésperas de eleições autárquicas...

---> É que "o anúncio ou a promessa de medidas de âmbito governamental destinam-se certamente a convencer ou a mobilizar o eleitorado. Mas a persuasão e mobilização do eleitorado são objectivos comuns a qualquer discurso político"... CERTAMENTE! Pois claro, não é mesmo para levar a sério... É para fazer campanha.

E onde ficará a lei no meio de tudo isto?




SORRISO DE BOCA CHEIA DE BOCA CHEIA DE BOCA CHEIA



- Pronto, pronto, eu não falo mais do Cavaco...

4 Comments:

Anonymous jorge sousa said...

parabéns por este blog e por divulgar estas informaçoes; tenho vergonha de ser português se este canalha for presidente

sexta-feira, dezembro 16, 2005 12:09:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Duas palavras - e já são muitas - para este blog: ridículo e ressabiado.

PS: Afinal merece mais uma: 1ª volta

sexta-feira, dezembro 16, 2005 12:00:00 da tarde  
Blogger Dogofilo said...

O anónimo que disse que este blog é "ridículo e ressabiado" usou os adjectivos que se lhe adaptam, a ele próprio, que nem uma luva. Só um indivíduo ridículo e ressabiado pode dizer que o Amnestesia©Anibal é ridículo (em quê? por recordar e documentar a face negra do Cavaquismo?) e ressabiado (porquê? por fazer um levantamento sistemático daquelas verdades que são incómodas para alguns?).

sexta-feira, dezembro 16, 2005 2:30:00 da tarde  
Anonymous luikki said...

este blog é tudo menos ridículo ou ressabiado....
desmascara a patranha, a mesquinhês, a incompetencia, a verdadeira fraude que é o cavaco!

sexta-feira, dezembro 16, 2005 7:28:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home